SÓ É LIVRE O CORAÇÃO QUE ESTÁ PRESO A UM AMOR

"Pensamentos"

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

M O R T E

Dentro de cada herói vive um monstro.
Dentro de cada monstro vive um herói.
O bem e o mal habitam os mesmos espaços no espírito de homem.
Mãos fortes que protegem... Garras sanguinárias que ferem...
Onde está o propósito? Onde está a missão?
Essa escolha cabe unicamente ao coração.
Alimentar a esperança ou a fúria?

"Ao que vencer será dado o direito de viver em paz na eternidade, restando aos demais a única coisa resultante de uma escolha errada: a morte."

Ninguém precisa ser nem monstro e nem herói. Para ser apenas feliz, um dos dois precisa morrer.

Prelúdio de um novo amanhecer.

Não há batalha sem adversário...
Não há luta sem propósito...
Não há vitória sem esforço...
Não há um novo dia sem esperança...
Não há nada pior do que morrer sem se conhecer.
 
 
 
Todos já aprendemos algo que alguém, em algum lugar, precisa recordar.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

O que esperam de nós?

Nos ensinam que é errado fazer, mas esperam que façamos com perfeição.
Nos mostram como condenar, e esperam de nós o perdão.
Expõe-nos à violência, mas esperam que sejamos pacíficos.
Nos castram e mutilam, mas querem que sejamos completos.
Lançam-nos à hostilidade e à intolerância, e depois nos querem cheios de ternura.
Nos expõe ao ridículo, e querem assim mesmo que tenhamos orgulho do que somos.
Nos ensinam o desprezo, e culpam-nos quando não somos amáveis e compreensíveis.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A ira de Fallum

Dentro do coração existe uma dívida com o passado.
A obrigação de ser homem, de nunca falhar, de nunca desistir, de nunca perder...
Dentro do coração existe uma ira contida por gerações... agressiva, selvagem, animal.
Dentro do coração mora uma tormenta que só se desenvolve por encontrar espaço, alimentada por minhas dúvidas a ira cresce e rasga suas amarras tentando sair.
Meu coração está envolto em farpas que o dominam, mas quando a ira se expande, empurra a superfície do coração para as farpas que o dilaceram com a dor da culpa.
Mais uma vez em chamas, mais uma vez apaixonado, o coração se recompõe e re-define suas metas.
Amar é a única saída, mas é preciso reconhecer a ira, encará-la, dominá-la, amarrá-la.
A ira está dentro e sem cuidados ela se torna maior, culpando, maldizendo, maltratando...
Posso vencê-la com meu amor. Posso superá-la com minha paixão...
Mas sendo homem, como posso extingui-la?